Adquirir a casa própria é uma transação que gera grande impacto nas finanças da família. E, como todos serão afetados, é essencial que haja um esforço coletivo, que possibilite a concretização desta tão importante conquista.

Mas todo este engajamento deve seguir outras regras básicas: a disciplina e o planejamento financeiro. Trata-se de um grande empenho para criar as condições necessárias para que a família economize e realize este sonho de forma segura.

Neste post, separamos 6 sugestões de boas práticas que podem ser adotadas para ajudar na compra de seu imóvel. Lembre-se de que todo o esforço que elas exigirão terá uma importante recompensa futuramente: a casa própria, tão sonhada por sua família. Portanto, continue a leitura!

1. Você sabe quanto ganha e quanto gasta a cada mês?

Se não houver um rigoroso controle sobre as despesas, será muito difícil economizar o valor necessário para realizar o sonho da casa própria. Portanto, tudo o que for gasto precisa ser registrado — e isso envolve todos os integrantes da família.

E não se trata apenas de registrar os gastos maiores, como o aluguel, a conta de luz e o supermercado. Também é muito importante anotar as pequenas despesas. O lanche feito durante o passeio no shopping, o ingresso do cinema, a lavagem do carro, enfim: mesmo os menores gastos devem ser contabilizados.

Somente assim você terá um panorama real do quanto sua família gasta a cada mês, poderá preparar um orçamento realista e terá condições de identificar quais despesas são realmente indispensáveis (ou permitem margens para redução).

No início, não se preocupe em criar uma sofisticada ferramenta de controle financeiro: um bloquinho para anotar o que foi gasto já é suficiente, pois o fundamental é que sejam registradas absolutamente todas as despesas. Considere este o passo inicial para sua economia.

2. Onde você e sua família desejam estar daqui a um ano? E daqui a cinco anos?

Ter um objetivo é uma forma muito eficaz de desenvolver disciplina e economizar. Trata-se de criar a motivação indispensável para abrir mão de determinados gastos. À medida que se visualiza uma conquista futura, o esforço ganha mais sentido.

Logo, é recomendável determinar em quanto tempo você pretende efetivamente concretizar essa aquisição. Assim, é possível definir o quanto precisará economizar a cada mês para atingir seu objetivo.

Não é preciso começar com um objetivo muito ousado. Inicie por metas realizáveis em um curto prazo. Com o tempo, à medida que for aprimorando o controle sobre suas receitas e seus gastos, você pode ampliar a meta. Quanto mais próximo de seus objetivos você estiver, mais motivado se sentirá para persegui-los.

Não se esqueça de que o esforço deve envolver toda a família. Assim, é importante que cada pessoa tenha suas próprias metas de economia para que também se sinta responsável pelas conquistas.

3. Você tem dívidas? Já tentou negociá-las?

É verdade que grande parte das famílias brasileiras está endividada, e esse é um grande obstáculo para qualquer conquista financeira. Porém, não é preciso ficar de braços cruzados enquanto não se encerra o débito. É possível renegociar, melhorando as condições ou acelerando seu pagamento.

Existem algumas opções para acertar suas dívidas, evitando que elas se prolonguem e sigam comprometendo seu orçamento. Uma delas é propor a quitação de todo o montante, com um bom desconto. Trata-se de uma forma de resolver o débito principal e livrar-se dos juros cobrados por seu parcelamento.

Mas, para esta alternativa, você precisará dispor de um determinado valor para oferecer a seu credor e, também, de sua capacidade de negociação. Se não for possível, outra opção é trocar esta dívida por outra mais barata, que é aquela com menores juros.

Lembre-se de que dívidas com cartão de crédito e cheque especial são sempre muito pesadas. Fuja delas sempre que possível. Verifique, junto ao seu banco, se ele oferece alguma linha de crédito pessoal com taxas mais baixas. Se houver, quite o débito anterior (nunca se esqueça de negociar algum desconto).

4. Sua família está preparada para uma emergência?

Mesmo quando não se tem um objetivo financeiro maior, como a compra de uma casa, manter uma reserva para emergências é sempre recomendável. Trata-se de uma maneira de proteger sua família de situações inesperadas, mas que sempre podem acontecer, com uma doença ou um período de desemprego.

Além de suprir a necessidade inesperada, a reserva serve para proteger aquilo que sua família já conseguiu economizar. Assim, a emergência terá um efeito menor em seus planos futuros.

5. Você é um consumidor consciente?

Economizar para comprar uma casa não fará com que todas as necessidades de sua família simplesmente desapareçam: você terá que seguir comprando os mais variados itens. Mas que tal aprender a fazer isso conscientemente?

O primeiro passo é tomar cuidado com as compras por impulso, pois poucos hábitos podem ser tão nocivos ao seu orçamento quanto elas. Inimigas da economia, elas fazem você pular etapas importantes do processo de consumo consciente, movido por um desejo emocional.

E o comércio está cheio de armadilhas para explorar esse momento de fraqueza. Isso ocorre por meio de métodos atraentes de exposição de produtos, anúncios de ofertas nem tão vantajosas quanto parecem, entre outros.

Não se esqueça também de pesquisar pelos melhores preços sempre que precisar fazer uma compra. Você pode se surpreender com a variação de valores que um mesmo produto sofre. Além disso, negocie um desconto para o pagamento à vista ou mesmo condições melhores de parcelamento.

E uma última dica no que se refere ao consumo consciente: tente comprar apenas aquilo de que precisa. Livre-se dos itens supérfluos.

6. De que forma você investe suas economias?

Aprender a poupar é um passo importante para se realizar um grande sonho que envolve finanças, mas não é o único. Se você souber como investir suas economias com segurança, pode fazê-las crescer e acelerar o alcance de suas metas.

Não é preciso tornar-se um virtuose do mercado financeiro ou arriscar o que já guardou. Opte por um perfil mais conservador de investimentos, que garantirá certo rendimento. O importante é não deixar o dinheiro parado, se desvalorizando e desperdiçando o esforço de sua família em poupá-lo.

Estas são algumas dicas para você montar um planejamento financeiro e economizar a quantia necessária à compra de sua casa própria. Não perca tempo e comece já a poupar!

Achou nossas sugestões interessantes? Então, que tal compartilhá-las em suas redes sociais e ajudar a levar informação para seus contatos? Até a próxima!

Powered by Rock Convert
Autor

Escreva um comentário

Share This