Comprar o seu primeiro apartamento é um momento muito especial. Trata-se de uma das conquistas mais valorizadas pelos brasileiros, representando independência e segurança para a família.

Mas para que tudo corra bem neste momento especial é preciso se preparar com calma. O planejamento de cada etapa dessa transação é fundamental para que a compra do seu primeiro imóvel garanta somente satisfação para sua família, sem risco de contratempos futuros.

Para lhe auxiliar nesse momento tão importante, preparamos este texto para destacar alguns aspectos para os quais você precisa ficar alerta quando for comprar a sua casa. Confira!

Possibilidades financeiras

A primeira etapa do processo de compra do seu primeiro apartamento é a definição do orçamento disponível para a aquisição. É a hora de verificar o quanto se tem disponível para o negócio e qual a sua possibilidade para assumir um financiamento.

Lembre-se de que a entrada é bastante importante nessa transação. É esse montante pago inicialmente que definirá o valor das parcelas mensais do seu financiamento. Além das suas economias, você pode utilizar para a entrada o seu saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

O FGTS, aliás, é um grande aliado na hora de comprar um imóvel. Além da entrada, é possível utilizá-lo para o pagamento de prestações não pagas do financiamento ou mesmo para amortizar o saldo devedor.

Não perca a oportunidade de fazer as simulações oferecidas pelos bancos que trabalham com financiamento imobiliário. O ideal é que você comprometa, no máximo, 30% de sua renda familiar com as parcelas do financiamento.

Definição do imóvel

Depois de determinar o orçamento disponível para a compra do seu primeiro apartamento, é preciso escolher o imóvel, levando em consideração as demandas e desejos da sua família. E, obviamente, o valor que o seu planejamento financeiro indicou como adequado.

São diversos aspectos que você precisa levar em consideração nessa etapa. O tamanho da família, por exemplo, vai indicar o número de quartos que deve ter o imóvel. Se houver crianças, você pode definir como importante morar em um condomínio com área de lazer.

Localização

Outro aspecto muito importante na escolha do imóvel é a sua localização. E isso depende também das demandas de sua família. Além de uma boa oferta de serviços no bairro, a acessibilidade à região do imóvel é um ponto de valorização do mesmo. A facilidade de deslocamento para o trabalho e para a escola das crianças também deve ser considerado.

Imóvel novo ou usado

Você também precisa verificar se será um melhor negócio adquirir um imóvel novo ou usado. Essa escolha terá reflexos importantes, tanto no valor quanto na forma de pagamento do seu apartamento.

Escolhendo um imóvel na planta, por exemplo, você pode ter vantagens no que se refere ao valor. Como você está adquirindo um bem que existe apenas no papel, pode negociar com a construtora melhores condições de pagamento.

Na aquisição de imóveis na planta não há cobrança de juros até a entrega das chaves, apenas uma correção com base no Índice Nacional de Custos da Construção (INCC), que mede a inflação específica do setor. Após receber o imóvel, você deverá quitar o restante do valor, o que pode ser feito por meio de financiamento na rede bancária.

Imóveis adquiridos na planta costumam ser mais baratos e valorizam-se rapidamente. Porém, antes dele ficar pronto, você terá que arcar com os custos da prestação e do aluguel onde seguirá morando. Também é importante conhecer bem a construtora para evitar problemas como atraso na entrega ou defeitos de construção.

Você pode, ainda, encontrar apartamentos usados com preços mais acessíveis. Mas é preciso ficar atento ao estado de conservação do imóvel, para não ter muitos gastos com reformas, por exemplo.

Forma de pagamento

Também não pode faltar no seu planejamento uma análise das formas de pagamento disponíveis para o seu negócio. Como poucas pessoas têm o privilégio de conseguir adquirir seu imóvel à vista, é preciso avaliar as opções de crédito que o mercado oferece.

Financiamento bancário

Atualmente, há diversas opções de financiamento imobiliário à disposição de quem deseja comprar seu imóvel. A operação funciona como um empréstimo, por meio do qual o banco fornece ao comprador o valor necessário para a aquisição do bem. Esse crédito pode ser pago ao longo dos anos, em contratos de até 30 anos.

Taxa de juros, valor exigido de entrada e forma de amortização são alguns dos aspectos que precisam ser levados em conta na hora de escolher um financiamento imobiliário. Há opções para diferentes perfis, entre eles o Minha Casa Minha Vida, destinado a famílias de renda mais baixa.

É preciso conhecer bem o funcionamento do financiamento para não ser surpreendido pela evolução das parcelas, o que é determinado pelo tipo de amortização utilizado.

Há basicamente três formas de amortizar sua dívida. No Sistema de Amortização Constante (SAC), as parcelas são maiores no início e diminuem com o passar do tempo.  Já na tabela Price as parcelas são fixas. Por fim, há o sistema Sacre, que reúne características dos dois anteriores, com prestações crescentes no início, mas que diminuem no final do contrato.

A forma de amortização utilizada no seu financiamento deve estar explicita em contrato.

Consórcio

Para quem não tem pressa para tomar posse do seu imóvel, o consórcio imobiliário é uma alternativa. Por meio dele, você deposita mensalmente o valor de uma parcela do imóvel. Para isso é preciso aderir a um grupo de consórcio. A cada mês, um dos participantes é sorteado para receber o imóvel.

Além do sorteio, é possível receber seu imóvel por meio de lances, em um processo semelhante a um leilão. Se você não tiver sorte nem recursos para os lances, receberá, ao final do contrato, uma carta de crédito com valor referente ao imóvel.

No consórcio não há cobrança de juros, apenas de taxas de administração. Trata-se de uma opção interessante para quem não consegue economizar para comprar seu apartamento.

Esses são alguns aspectos que você precisa levar em conta quando estiver planejando a compra do seu primeiro apartamento. Tenha em mente que o planejamento é a palavra-chave nesse processo. Conte sempre com a assessoria de uma imobiliária ou incorporadora reconhecida no mercado imobiliário e só feche o negócio quando não tiver mais nenhuma dúvida sobre a operação.

Este conteúdo foi interessante para você? Fiquei com alguma dúvida, ou gostaria de fazer alguma sugestão? Então deixe um comentário no post com as suas observações.

Powered by Rock Convert
Venosa
Autor

Blog da Venosa. Tudo para Realizar o Sonho da Casa Própria, dentro das faixas do Minha Casa Minha Vida.

Escreva um comentário

Share This