O sonho da aquisição da casa própria é compartilhado por muitas pessoas, seja pela maior segurança que ela representa, seja pela construção de uma vida mais independente ou pelo início da constituição familiar. 

Como essa operação envolve quantias consideráveis de dinheiro, há quem opte pelo financiamento total ou parcial do imóvel escolhido. Para tanto, é necessário comprovar a renda para conseguir tal empréstimo, o que pode significar, em um primeiro momento, uma dificuldade a mais para quem exerce atividades profissionais de forma independente, ou seja, não tem holerite ou folha de pagamento.

Contudo, existem outras maneiras possíveis de fazer o sonho da casa própria acontecer, mesmo para quem não apresenta carteira de trabalho assinada: confira o nosso artigo e saiba como comprovar renda sendo autônomo. Vamos lá!

O que serve como comprovante de renda?

Há uma diversidade de profissionais que não têm carteira assinada, tais como advogados, taxistas, médicos, pedreiros, vendedores, entre outros. Por isso, em operações em que haja a necessidade de comprovação de renda, existem alguns documentos que podem ser apresentados. Veja quais são eles:

Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (DECORE)

A chamada DECORE só pode ser emitida por contadores devidamente habilitados e, desde o ano 2000, funciona como o documento oficial para fins de verificação das receitas de empresários, profissionais liberais e autônomos.

Para ter validade, ela precisa do selo DHP, sigla que significa Declaração de Habilitação Profissional, fornecido pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC). Por isso, é importante buscar um profissional de qualidade e que seja habilitado em tal Conselho, sob pena de a DECORE ser invalidada.

Extrato bancário

O extrato bancário também funciona como meio de comprovação dos faturamentos, ressaltando-se que, quanto mais tempo a conta estiver em funcionamento, mais completo se torna esse documento. 

Para quem deseja obter um financiamento imobiliário, a movimentação do extrato bancário deve ter um período mínimo de seis meses, justamente para a devida verificação dos rendimentos do solicitante.

Além disso, é importante reunir todos os depósitos em uma só conta, para facilitar essa análise, e algumas instituições financiadoras podem requer a apresentação da declaração do Imposto de Renda para complementar os dados.

Declaração do Imposto de Renda (IR)

Todo ano, o cidadão brasileiro precisa declarar os seus ganhos e gastos ao Governo Federal para, então, ser calculado o imposto a ser recolhido. Ou seja, essa declaração tem o fim de valorar o tributo.

Como ela compreende diversos detalhes da vida do contribuinte, é considerada um ótimo documento para comprovar a renda do trabalhador autônomo: além de ser completa, é uma declaração que requer veracidade, já que, em caso contrário, o pagante pode ser penalizado.

A única ressalva refere-se ao fato de ser um documento anual, constando todos os valores do ano anterior. Em outras palavras, ela pode ser considerada defasada e, para evitar essa conclusão, a sugestão é apresentá-la em conjunto com o extrato bancário.

Contratos e recibos de serviços prestados

Os contratos e recibos dos serviços realizados também compõem o rol de documentos que servem para comprovar a receita do autônomo, principalmente quando estiverem devidamente assinados por ambas as partes e registrados. 

Se você trabalha dessa forma e não guarda esses documentos, é uma boa dica passar a reuni-los para apresentação dos valores mensais de faturamento, quando necessário. Aliados ao extrato bancário e à declaração do IR, a sua validação torna-se ainda mais consistente.

Como efetuar a comprovação com segurança?

Algumas dicas simples podem ser utilizadas para efetuar a comprovação dos faturamentos com segurança, evitando-se possíveis transtornos. Anote os macetes apresentados a seguir e tenha mais tranquilidade ao realizar essa tarefa.

Abra uma conta bancária

A primeira sugestão é primordial para muitas atividades no país e muito fácil de ser realizada, considerando a diversidade de bancos existentes pelo Brasil afora e, também, os diferentes tipos de contas possíveis, com taxas e pacotes variáveis.

Por isso, se você precisa comprovar a sua renda e não tem o holerite para apresentar, abra uma conta bancária. Ou, caso já tenha mais de uma conta, escolha um banco e centralize suas operações financeiras em um único canal — reunir toda a movimentação evita a perda de informações e facilita a produção documental para fins de confirmação de seus rendimentos mensais.

Atente às restrições do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) 

De nada adianta juntar todos os documentos possíveis para a comprovação da renda se constar alguma restrição em seu CPF, corroborando o nome sujo na praça. Como isso acontece quando há atraso de pagamentos, apresentar dívidas pendentes é uma situação bastante prejudicial, principalmente para quem deseja obter um financiamento de imóvel.

Antes de reunir as informações de sua receita, verifique se há débitos a pagar e tente a renegociação desses valores diretamente com as empresas para, então, apresentar um histórico de créditos positivo.

Faça o Cadastro Positivo

O chamado Cadastro Positivo é um programa online fornecido pelo Serasa Experian e funciona como um currículo financeiro, ou seja, ele reúne todos os dados de contas pagas, compras efetuadas com cartões, financiamentos e empréstimos. 

A sua finalidade é criar um perfil da rotina financeira do consumidor, o que auxilia (e muito!) a vida de quem paga os seus débitos sem atrasos: apresentar um Cadastro Positivo com contas em dia é um fator de peso para a obtenção de financiamentos imobiliários, de automóveis ou qualquer outro tipo de crédito ou empréstimo. 

Para quem não tem folha de pagamento para comprovar a renda, essa ferramenta é uma ótima vantagem! Demonstre esse histórico em conjunto com o extrato bancário e apresente a sua receita de forma eficiente.

Saber como comprovar renda sendo autônomo pode não parecer fácil em um primeiro momento, mas essa tarefa é simples. Organize-se, reúna suas informações financeiras em uma só conta, deixe os débitos em dia, faça o Cadastro Positivo e apresente os documentos que servem como comprovantes das receitas. Com preparação e atenção, o sonho da casa própria fica muito mais próximo de ser atingido. Boa sorte!

As informações apresentadas foram úteis? Ficou com alguma dúvida? Comente no nosso post e dê o seu feedback! Estamos à disposição para maiores solicitações.

Venosa
Autor

Blog da Venosa. Tudo para Realizar o Sonho da Casa Própria, dentro das faixas do Minha Casa Minha Vida.

Escreva um comentário

Share This